Home / DESTAQUE DE GIRO / Carnaval – Festa e reflexão

Carnaval – Festa e reflexão

carnavalO Carnaval originário tem início nos cultos agrários da Grécia, de 605 a 527 a.C. Com o surgimento da agricultura, os homens passaram a comemorar a fertilidade e produtividade do solo.
O Carnaval Pagão começa quando Pisistráto oficializa o culto a Dioniso na Grécia, no século VII a.C. e, termina, quando a Igreja Católica adota a festa em 590 d.C.
O primeiro foco de concentração carnavalesca se localizava no Egito. A festa era nada mais que dança e cantoria em volta de fogueiras. Os foliões usavam máscaras e disfarces simbolizando a inexistência de classes sociais.
Depois, a tradição se espalhou por Grécia e Roma, entre o século VII a.C. e VI d.C. A separação da sociedade em classes fazia com que houvesse a necessidade de válvulas de escape. É nessa época que sexo e bebidas se fazem presentes na festa.
Em seguida, o Carnaval chega em Veneza para, então, se espalhar pelo mundo. Diz-se que foi lá que a festa tomou as características atuais: máscaras, fantasias, carros alegóricos, desfiles…
O Carnaval Cristão passa a existir quando a Igreja Católica oficializa a festa, em 590 d.C. Antes, a instituição condenava a festa por seu caráter “pecaminoso”. No entanto, as autoridades eclesiásticas da época se viram num beco sem saída. Não era mais possível proibir o Carnaval. Foi então que houve a imposição de cerimônias oficiais sérias para conter a libertinagem. Mas esse tipo de festa batia de frente com a principal característica do Carnaval: o riso, a brincadeira…

É só em 1545, no Concílio de Trento, que o Carnaval é reconhecido como uma manifestação popular de rua. Em 1582, o Papa Gregório XIII transforma o Calendário Juliano em Gregoriano e estabelece as datas do Carnaval. O motivo da mobilidade da data é não coincidir com a Páscoa Católica, que não pode ter data fixa para não coincidir com a Páscoa dos judeus. O cálculo é um pouco complexo. Determina-se o equinócio da primavera, que ocorre entra os dias 21 e 22 de março no hemisfério norte. Observando a lua nova que antecede o equinócio, o primeiro domingo após o 14º dia de lua nova é o domingo de Páscoa. Como o primeiro dia da lua nova, antes de 21 de março, é entre 08 de março e 05 de abril, a Páscoa só pode ser entre 22 de março e 25 de abril. O domingo de carnaval é sempre no 7º domingo que antecede ao domingo de Páscoa.

O Carnaval brasileiro surge em 1723, com a chegada de portugueses das Ilhas da Madeira, Açores e Cabo Verde. A principal diversão dos foliões era jogar água nos outros. O primeiro registro de baile é de 1840.
Em 1855 surgiram os primeiros grandes clubes carnavalescos, precursores das atuais escolas de samba. No início século XX, já havia diversos cordões e blocos, que desfilavam pela cidade durante o Carnaval. A primeira escola de samba foi fundada em 1928 no bairro do Estácio e se chamava Deixa Falar. A partir de então, outras foram surgindo até chegarmos à grande festa que vemos hoje.

Reflexões sobre o carnaval

Todos os brasileiros já ouviram a frase irônica que apenas constata a nossa realidade: o novo ano só se inicia de fato após o Carnaval…
Mas poucos se detiveram para examinar as origens do Carnaval, seu significado na vida de cada um, além de alguns dias de passeio ou descanso, ou mesmo a farra com os amigos.
A palavra ‘carnaval’ vem do latim caro, carnis que significa carne, e levare que seria remover, afastar. Observamos que no calendário cristão ele aparece precedendo a Quaresma, que é um tempo de reflexão no espírito, ou seja, após as festividades que afirmam o corpo e celebram a existência carnal, o recolhimento que obriga ao afastamento da sensorialidade em prol da aproximação com o divino.

Aqui podemos notar a assimilação de cultos muito antigos, ritos de fertilidade pré-cristãos. No hemisfério norte, a primavera chega no mês de abril, e vários povos já evocavam a Mãe Terra e outros deuses através de sacrifícios animais, relações sexuais sobre a terra arada, danças, cânticos e outras manifestações.
Digno de ser lembrado, como um dos precursores do Carnaval, seria o festival de Osíris no antigo Egito, que comemora a renovação da vida trazida pelas águas do Nilo. Em Atenas, na Grécia, o deus Dioniso também merecia festas regadas a vinho e rituais orgiásticos. Mas foi durante o antigo Império Romano que o Carnaval (“carnevale”, a palavra iniciou-se aqui) conheceu o máximo de licenciosidade e desordem civil, sendo que havia vários carnavais (bacanais, saturnais, lupercais, etc.). 

Sobre Beto Batalha | IguaíBAHIA.com.br

Érito Roberto (Beto Batalha) - Criador do Site IguaiBAHIA. Criado em Iguaí, onde viveu e estudou até os quatorze anos. Mudou-se para São Paulo em 1980, onde vive até hoje. Formado em Direito. Casado, com Maria do Socorro Rosa Freire, pai de 4 filhos, (dois do primeiro casamento, e dois do segundo casamento). Trabalha atualmente no Ministério Público do Estado de São Paulo.

Veja Também

Iguaí: Ibiporanga II Vence Riachão de Lô na abertura do Campeonato Rural 2017

Na tarde deste domingo, 01 de Outubro de 2017, por volta dás 15h20, no distrito ...

Deixe uma resposta