Home / DESTAQUE 1 / Música: Rei da Cacimbinha é a banda baiana melhor colocada no ranking do Google

Música: Rei da Cacimbinha é a banda baiana melhor colocada no ranking do Google

Anos atrás, o cantor de arrocha romântico Hélio Pires Medeiros, 27 anos, queria dar um presente para a mãe. Com o cachê que recebeu após seu primeiro show, comprou um espremedor de laranjas. Era um ilustre desconhecido. Hoje, continua um desconhecido para muita gente, mas, semanas atrás, deu um apartamento para dona Simoní Pires. No caminhão de mudança para a nova casa, estava lá o espremedor de laranjas.

“Custou R$50 na época. É daquele de plástico. Não sei como uma porra daquela ainda tá funcionando”, brincou. O que mudou de lá para cá? Simples: o cantor romântico e sério se tornou um personagem bem humorado e escrachado. Hélio Medeiros virou John Falcão, vocalista da banda Rei da Caimbinha. Isso mesmo. Rei da Cacimbinha.

John Falcão Rei da Cacimbinha | Foto: Reprodução
John Falcão Rei da Cacimbinha | Foto: Reprodução

Se você nunca ouviu falar precisa rever seus conceitos. De acordo com o Google, a Rei da Cacimbinha é a segunda banda/cantor cujas procuras feitas por baianos mais cresceram no site de buscas nos últimos 12 meses. De Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, o grupo só perde em procuras para a dupla de sertanejos goianos Henrique e Juliano. John Falcão e o Rei da Cacimbinha são um fenômeno.

O sucesso não é só no Google. O clipe da música Muriçoca, carro chefe da banda – e que em algum momento sobrevoou perto do seu ouvido – faz tanto zunido que já deu mais de 8 milhões de picadas em apenas um link do You Tube. Além dela, outros dois sucessos ajudaram a comprar o apartamento de dona Simoní.

Com quase 10 milhões de visualizações em um único link, o clipe da música Pop 100 superou a Muriçoca. Enquanto isso, Meu Pai é Foda atinge quase 1,3 milhões de “views”. “Se juntar todos os links, dá uns 50 milhões. Temos o disco mais comprado digitalmente no Brasil. Mais de 500 mil downloads”, afirma Thiago Gravações, diretor de mídias digitais da banda, que tem 125 mil seguidores no Facebook e 87 mil no Instagram.

Acontece que, para além da internet, o Volume 1 do Rei da Cacimbinha está “torando paredões” de som em todo o Brasil e nos palcos fora da rede mundial. O empresário Judson Gusmão disse que as turnês só não atingiram ainda o sul do país, o Amazonas e o Acre. “No resto, a gente já tocou. A banda é estourada nos 12 estados do Nordeste, estamos na 4ª turnê no sudeste e acabamos de fazer 16 shows em São Paulo”, revela. Em Salvador, a música toca, mas não com a mesma força do interior. “Foi a música mais tocada do Carnaval. Mas Salvador é muito fechada e a música do Carnaval é carta marcada”, diz Ludson.

Rei da Cacimbinha  | Foto: Reprodução
Rei da Cacimbinha | Foto: Reprodução

John Falcão conta que o sucesso veio quase 15 anos depois de muitas tentativas. “Eu chegava a gravar dois CDs por ano e nada. Todo ano eu gravava dois discos diferentes e não conseguia acertar. Minha família já tava retada comigo dizendo pra sair dessa. Aí a gente faz um negócio brincando e acontece isso”.

O que John narra como uma brincadeira ocorreu há menos de um ano, em setembro do ano passado. O cantor trabalhava como back vocal de um escritório de produções quando juntou a galera para gravar um CD no improviso. “A gente tinha um show de noite e, à tarde, começamos a brincar. Pegamos um teclado, a guitarra e fizemos um CD. Em duas horas, postamos o CD sem foto, sem nada, e subimos no Facebook de um amigo. Um link só. Ninguém fez nada para divulgar. Ao contrário, ficamos foi quieto por ter feito aquela besteira”, disse John, sem segurar a gargalhada.

John e os amigos postaram 10 músicas, entre elas a Muriçoca e Meu Pai é Foda, ambas composições dele. “A coisa foi tocando por aí. A gente pensou que ia morrer rápido. Que nada! O negócio cresceu. Chega tô me arrepiando aqui, ó”. Foi aí que o grupo de amigos resolveu levar a coisa a sério, claro, sem perder o sarcasmo e a extravagância.

Paródias
Conceitualmente, a Rei da Cacimbinha é uma banda de “arrochadeira”, ou seja, uma mistura do arrocha com o chamado pagode quebradeira. Mas o conteúdo é feito com paródias e resenhas. A própria Pop 100, por exemplo, é uma afronta à ostentação. “A nossa banda é de anti-ostentação. A historia da superação é o que mais toca o pessoal. É o cara lenhado que se dá bem andando de Pop 100. ‘Quer ver coisa é antigamente, quando eu pegava mulher de mobilete’”, larga John, cantando um trecho.

A própria Muriçoca é resultado do sofrimento em turnês na época das vacas magras. Os mosquitos atacavam a galera nos hotéis “fuleiros” pelas cidades do interior. “Rapaz, a gente dormiu em cada espelunca! E as muriçocas não tinham pena”. No meio dessa resenha, John cantou a Muriçoca. “Nem escrevi a letra. Já fui cantando e o pessoal tocando. Tava no meu subconsciente essa porra”.

A inspiração para o personagem principal veio do Ceará. “Ludson, meu empresário, falou que a minha voz parecia com a de Falcão. Aí a gente botou a margarida no peito”. Jurubeba, o tecladista, e Zé da Véa, na guitarra, completam a banda. Com esse trio, a Rei da Cacimbinha fez um show na Wood´s, meca sertaneja em Goiás. “A maior façanha é uma banda de teclado e guitarra tocar lá. A galera costuma sentar nas mesas e nem olha pro palco. Com a gente a boate quase veio abaixo. O dono disse que nunca viu coisa parecida”.

John Falcão, Rei da Cacimbinha | Foto: Reprodução
John Falcão, Rei da Cacimbinha | Foto: Reprodução

Inclusive, fizeram amizade com Henrique e Juliano, que estão no topo da lista em que a Rei da Cacimbinha se mantém em segundo. “Já mandaram o jatinho deles pra me pegar. Fui para o aniversário de Juliano”, deslumbra-se o cantor. John só não aceita comparações com os Mamonas Assassinas. “Nem gosto de citar Mamonas como referência. Não tem nada que se compare a Mamonas e nunca vai ter”. Mas para o homem que usou uma Muriçoca para transformar um espremedor de laranjas num apartamento, não duvide de nada.

Banda acusa Rei da Cacimbinha de roubar Muriçoca
Enquanto a Muriçoca picava repetidamente as mentes de fãs da arrochadeira em todo o Brasil, uma polêmica surgiu. A banda Bonde do Serrote, de Salvador, passou a acusar a Cacimbinha de roubar a música. Segundo Ermínio Félix, vocalista e líder do Bonde, o grupo do bairro da Ribeira gravou um clipe com referências da Muriçoca ainda em junho do ano passado. Ou seja, antes do Rei da Cacimbinha lançar a música.

Com informações do Correio 24 Horas

Sobre Redação | IguaíBAHIA.com.br

Veja Também

Vídeo: Festa De Setembro De Iguaí 2017, A Melhor Festa De Todos Os Tempos!

Deixe uma resposta